O Acampamento dos Filhos de Israel
Os Filhos de Israel em Marcha

O Tabernáculo era uma tenda portátil com uma armação de madeira para dar estabilidade. O santuário inteiro consistia em três partes: (1) um átrio externo cercado por cortinas apoiadas em colunas. Era oblongo em sua forma, e a sua entrada estava ao lado oriental. (2) o altar de holocausto (altar de bronze) estava dentro do átrio, em frente à entrada. (3) o próprio Tabernáculo foi localizado à parte ocidental do átrio. O Tabernáculo foi dividido por um véu ou cortina pendente em duas câmaras. A primeira câmara chamada de Lugar Santo, contendo a Mesa, o Candelabro, e o Altar de Incenso. Só os sacerdotes eram permitidos nesta seção. A segunda câmara chamada o Santo dos Santos, contendo a Arca da Aliança. O Sumo Sacerdote adentrava somente uma vez ao ano no Santo dos Santos, no Dia da Expiação. Os objetos reservados para o Santo dos Santos foram construídos de metais preciosos e tecidos. Os destinados às áreas mais externas foram feitos de bronze e tecidos e materiais comuns. O Tabernáculo foi coberto por uma tenda e coberturas de tecido.

'O Átrio Exterior'

santuário do tabernáculo estava ao lado ocidental, sendo a metade de um pátio retangular, cujas dimensões eram 100 x 50 cúbitos (50 x 25 metros). O tabernáculo estava situado de Leste para Oeste, tendo a entrada ao Leste. A nuvem da Glória de Deus desceu no tabernáculo:

Exod 40:38 Porquanto a nuvem do SENHOR estava de dia sobre o tabernáculo, e o fogo estava de noite sobre ele, perante os olhos de toda a casa de Israel, em todas as suas jornadas.

Qualquer israelita poderia entrar nos átrios, mas só a tribo sacerdotal poderia ir, no Tabernáculo, e apenas o Sumo Sacerdote poderia ir além, no Santo dos Santos, uma vez por ano no dia do Yom Kippur, O Dia da Expiação.

A Aproximação de Deus

As palavras de Deus para
Moisés eram muito claras acerca da maneira como eles deveriam se aproximar de Deus. Eles nunca tinham se aproximado Deus enquanto eram escravos no Egito, mas se sentaram à mesa com Ele por ocasião da libertação, comeram a Páscoa apressadamente em suas casas, pois eles estavam deixando a terra de escravidão e estavam preparando-se para a jornada à terra prometida. Mas enquanto isso, Deus tinha se revelado em Sua santidade no Monte Sinai e, eles completamente horrorizados, foram conscientizados de que nenhum homem poderia se aproximar de Deus, a não ser seu líder Moisés. Mas Deus quis que eles fossem um reino sacerdotal, e aproximar-se-iam d'Ele, e teriam uma relação contínua da mesma maneira que o marido e a mulher.


Então Deus lhes revelou um padrão de adoração que era consistente com a Sua santidade, tornando possível para o homem pecador entrar em Sua presença . Este padrão de adoração estava no tabernáculo inteiro, e Deus começou a lhes revelar que tudo aquilo estava envolvido no sangue de um sacrifício expiatório, com o qual eles estavam identificados, mas não completamente.

Começou com a consciência de pecado na vida de cada indivíduo. Assim quando um Israelita reconhecia que ele havia pecado, e que isto o separou de Deus, se ele quisesse ser perdoado, iria buscar o seu lugar junto a Deus no tabernáculo.

Quando ele (o pecador) se aproximava, achava uma parede de linho branco formando uma barreira contra ele. Tendo ao redor 300 cúbitos (150 metros) exceto em uma extensão de 20 cúbitos (10 metros) onde era diferente. Era conhecida como A Porta de Entrada. Não era formada de linho branco mas era multi-colorido em tecido branco,
azul, purpúra e carmesim. Era distinto, e destacado o modo pelo qual o pecador poderia ter acesso para o átrio da casa de Deus. (Veja A Porta de Entrada).


Sl 84:2 A minha alma está desejosa, e desfalece pelos átrios do SENHOR; o meu coração e a minha carne clamam pelo Deus vivo.

Sl 84:10 Porque vale mais um dia nos teus átrios do que mil. Preferiria estar à porta da casa do meu Deus, a habitar nas tendas dos ímpios.

 

Copyright © O Acelerador de Conhecimento Bíblico